Calendário 2011 da Fórmula Indy deve ser anunciado nesta sexta-feira

Algumas mudanças importantes para a temporada do ano que vem.


A Fórmula Indy vai anunciar seu calendário oficial da temporada 2011 nesta próxima sexta-feira (10). O campeonato deve continuar com 17 etapas no ano que vem, assim como aconteceu em 2009 e 2010.

Também como nesta temporada, o campeonato deverá ser composto por nove provas em pistas mistas e de ruas, além de outras oito em circuitos ovais.

Os circuitos ovais que devem ficar de fora para 2011 que tiveram provas nos últimos anos são Kansas, Homestead e Chicagoland. Já a única pista mista que deverá deixar o calendário é tradicional Watkins Glen International.

A maior dúvida dos dirigentes da IndyCar Series é com relação a prova de encerramento da Fórmula Indy em 2011, se acontecerá em Las Vegas ou em Fontana. Mesmo com o anúncio do calendário do ano que vem nesta sexta, a corrida de Vegas ou Fontana poderá ser decidida apenas no final deste mês.

O provável calendário de 2011 será o seguinte:

Saint Petersburg
Barber Motorsports Park
Long Beach
São Paulo
Indianápolis
Milwaukee
Texas
Iowa
Toronto
Edmonton
Mid-Ohio
New Hampshire
Baltimore
Sonoma
Motegi
Kentucky
Las Vegas ou Fontana

Dois meses atrás, o Blog da Indy antecipava a saída das pistas de Kansas e Watkins Glen, confira aqui.

17 comentários:

Luiz Batista disse...

Trocar a prova de Watkins Glen por Baltimore (circuitinho horroroso de rua) lembra a CART dos anos 2000 quando começou a trocar circuitos como Elkhart Lake e Laguna Seca por bobeiras como Houston e San Jose... Vale resaltar que de nove circuitos mistos apenas três circuito permanente. Garantia de corridas chatas. Até agora não engoli aquele traçado de Baltimore...

Jackson Lincoln Lopes disse...

Acho que você Luiz, nunca acompanhou a CART...

Elkhart Lake nunca deixou de fazer parte do calendário a não ser em 2005 por problemas financeiros. Laguna Seca saiu em 2005.

Você por acaso viu as arquibancadas de Glen e Chicago este ano? Se tinha 3 mil pessoas em Glen foi muito e 15 mil em Chicago idem.

Como pode criticar Baltimore se o circuito nem existe ainda? Nunca houve uma corrida lá...e digo mais, é um mercado novo, já que vai para o estado de Maryland.

Todos gostaríamos de ver Glen, Road America, Laguna, Cleveland, Surfers, Portland, Michigan, Fontana...mas no momento, isso não é possível.

Pagou = prova no calendário.

Ou você acha que a corrida no Brasil saiu porque? A APEX Brasil investe uma grana enorme na categoria e imagina o investimento que a Band e a prefeitura de São Paulo teve na Indy.

Luiz Filipe Dias Genesi disse...

O que me deixa invocado é não tirarem a pista de Sonoma, essa sim é horrível. E é bom Las Vegas retornar, ou quem sabe Fontana...

Anônimo disse...

Chama a atenção que as pistas que sairão do calendário da Indycar (Kansas, Watkins Glen, Chicagoland e Homestead) são todas da ISC, a poderosa companhia que pertence a família France, dona da NASCAR.

Provavelmente a Indycar correrá no Las Vegas Motor Speedway, já que o Bruton Smith, o dono da pista, já manifestou o desejo de levar a categoria até lá. Assim, se Fontana não entrar não haverá nenhuma pista da ISC no calendário da Indycar de 2011.

Isso é muito sugestivo, já que desde o início a IRL e a família France (NASCAR) sempre tiveram bom relacionamento, que ao meu ver só favoreceu a NASCAR e enfraqueceu a IRL. Será que agora, livre da ISC a Indycar vai crescer?

O maior aliado da Indycar passa a ser agora o Bruton Smith, que é dono da Speedway Motorsports, que possui os circuitos de Sonoma, Texas, Kentucky, New Hampshire e Las Vegas. Acho que esse é um aliado muito mais interessante que a ISC pois não tem aparentemente segundas intenções.

Thiago Augusto Barbosa disse...

Se não me engano Vegas e Fontana estavam cotadas para dar espaço pra Kentucky na Nascar, não sei se é um bom mercado pra Indy, financeiramente, mas é garantia de um bom espetaculo. O calendario está meio fraco, muitos circuitos tradicionais de fora, Chicagoland que tem a corrida mais emocionante do calendario esta saindo, o jeito é esperar alguns anos, pra ver o efeito da reunificação e os novos rumos que a Indy irá tomar, por enquanto é comemorar a volta de uma dessas pistas ao calendário e a saida de outras.

Anônimo disse...

Estive conferindo o site do Homestead Miami Speedway, a pista onde provavelmente o atual campeonato será definido e encontrei que o nome da prova será "Café do Brasil Indy 300", ou seja, parece que o pessoal da APEX Brasil comprou o nome da prova como forma de divulgar o café brasileiro para o mundo.

A marca já aparece no logo da prova, na página inicial de oferta de ingressos do site. Tiro o meu chapéu para esse pessoal da APEX Brasil, eles realmente estão apostando alto na categoria.

Alexanre Lourenço disse...

Eu acho que a Indy ja deve começar a partir de 2012 aproveitando os novos modelos de carros e ja ir iniciando o processo de internacionalização de uma vez por todas, o México e Austrália não podem ficar de fora dessa e Itália deveria ser considerada uma possibilidade juntamente com o apoio da Dallara e que se dane o "Tio patinhas Eclestone".Abre o olho Bernie, agora vamos mostrar pra esse pessoal da F-1 o que é corria de verdade!!!!

Anônimo disse...

Austrália deve ter boas chances por causa do Power, do Briscoe e do Dixon que é dali de perto.

México sem chances, o país está destroçado pela violência da guerra civil promovida pelo narcotráfico. E a Indycar precisa de mexicanos correndo pra corrida ter apelo popular.

Itália prova bancada pela Dallara? A Dallara é fraquíssima de dinheiro (vide o carro bisonho que ela fornece pra equipe Hispania na Fórmula 1), não tem como pagar a conta e pra falar a verdade não teria motivo nenhum pra gastar tubos de dinheiro promovendo uma corrida dessas, ia ganhar o que com isso? Melhor ir pedir dinheiro para a FIAT, para a AGIP/Enichem ou para a TIM que são multinacionais italianas riquíssimas.

leonardo-pe disse...

espero mesmo a volta de sufers paradaise no calendário da indy.essa atual indy ganha cada vez mais a cara da CART!

Thomperson disse...

Gostei da observação de um Anônimo que escreveu que a saída das 4 pistas da ISC seria um jeito da IRL se ver livre da família France, e assim poder fazer a F-Indy crescer.

Por outro lado a ISC é dona de 12 pistas nos EUA, e várias delas em mercados importantíssimos, como Chicago, Miami, Detroit (oval de Michigan), Phoenix, Kansas, Los Angeles (Fontana), etc... e ficar sem as pistas da ISC pode significar crescimento limitado dentro dos EUA, país que deve ser a prioridade da F-Indy.

A saída de Kansas tudo bem, não fará tanta falta. A saída de Watkins Glen é um pouco chata pois a pista é muito boa.
Mas tirar Chicago e Homestead, é um tiro no pé.

Substituir por Las Vegas, New Hampshire e Baltimore compensa em parte o prejuízo, caso tenhamos corridas side-by-side em Las Vegas tal como tinha em Chicago. Baltimore é boa por causa do mercado, já que está na área de Washington-Baltimore, a 4ª maior megalópole dos EUA. E New Hampshire em uma área próxima á Boston, a 7ª maior metrópole americana.

O ruim é que o número de corridas no meio-oeste dos EUA diminui. Só haverá Indianápolis, Kentucky, Mid-Ohio, Iowa e talvez Milwaukee. Ou seja, 4 ou 5 corridas na região que é a "casa" da F-Indy. Isso não é um bom sinal.

Luiz Batista disse...

Desculpa aí Sr. Jackson Lincoln Lopes, porém creio ser desnecessária tal agressividade, afinal dei apenas uma mísera opinião (sem agressão a sua pessoa ou mesmo a própria IRL). Quanto a nao ver a CART e depois ChampCar infelizmente nos anos 2000 não pude ver poís após a RedeTV a categoria passou somente em canal fechado (coisa que só adquiri em 2009), mas até 2001 assistí sim (inclusive VTs mal-feitos passados na Record). Peço "mil desculpas" pela informação incorreta sobre Elkhart Lake, porém sobre a pista de Baltimore o traçado já foi divulgado sim, sendo o clássico "curvas em ângulo reto e harpin". Procure no blog "A mil por hora" do Rodrigo Mattar.

Thomperson disse...

O traçado de Baltimore foi divulgado aqui no Blog da Indy meses atrás. Por ser uma pista de rua, em uma região cujo traçado das ruas é inalterável, até que fizeram um bom serviço. Há um estádio de baseball, um centro de convenções, um hotel novinho em folha e uma marina, não dá para demolí-los e construir uma "Watkins Glen de rua" no local.
É uma pena, mas temos que aceitar essa realidade. Em Watkins Glen as pessoas íam para lá de trailler acampar, e dava no máximo 30.000 pessoas nos campings, e umas 5.000 nas arquibancadas. Em Baltimore, por ser no centro de uma das mais importantes cidades portuárias dos EUA, com certeza estarão presentes no dia da corrida umas 45.000 pessoas, ou mais.
Abraço.

Gilberto Gehrke disse...

as pistas de fontana e michigan nao pertenciam a Penske? Pois havia o logotipo da Penske junto ao nomes dessas pistas sempre q eu via, a Penske vendeu elas pra ISC?

Thomperson disse...

Roger Penske vendeu o grupo que controlava essas pistas (Michigan, Fontana, Nazareth e Homestead) para a International Speedway Corporation em 1999.

Anônimo disse...

Ainda existe a possibilidade de Chicago continuar em 2011 e Road America e Laguna Seca voltarem em 2012, melhor esperar o anuncio oficial...

leonardo-pe disse...

glen saiu,OTIMO!pista ao lado de sonoma,CHATÍSSIMA!

Anônimo disse...

so a besta do leonardo que acha que glen saiu, ele deve gostar de ver a F1 na turkia

Postar um comentário

 
Clicky Web Analytics